Projeto Biomas Logo do Projeto Biomas

No Brasil a mão que produz é a mesma que preserva o meio ambiente

Realização:
Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Embrapa

Amazônia

<? echo biomaToClass($node->field_noticia_bioma[0][" />

Atividades

  • Seleção das áreas de pesquisa diagnóstica e experimental - 2012
  • Diagnóstico de solos e vegetação das áreas selecionadas - 2013
  • Formação de Rede de Pesquisadores do bioma Amazônia - 2013
  • Seleção dos subprojetos (pesquisas experimentais) - 2013
  • Implantação dos subprojetos – 2014
  • Desenvolvimento e coleta de dados dos subprojetos – 2014 a 2019
  • Transferência de tecnologias – em desenvolvimento – 2014 a 2019

Após a definição da área de pesquisa do bioma Amazônia, localizada no estado do Pará, foi realizado o diagnóstico de solos e vegetação e definidas as fragilidades e potencialidades da área. A partir desses dados, foi possível definir o zoneamento da área de pesquisa considerando as diferentes paisagens que, normalmente, formam as propriedades rurais, sendo elas:

  • Área de Preservação Permanente (APP)
  • Área de Reserva Legal (ARL)
  • Área de Uso Alternativo (AUA) 

Foram selecionados pesquisadores de diversas instituições de pesquisa e ensino da região. Eles foram responsáveis pela elaboração e desenvolvimento dos 22  subprojetos de pesquisa que compõem o Projeto Biomas na Amazônia . 

Desde a implantação desses subprojetos, que ocorreu em 2014, são mantidas ações de pesquisa como avaliação do desenvolvimento das árvores e coleta de material vegetal, solos, dados climáticos etc.

Para transferência de tecnologias desenvolvidas por esses subprojetos, foram realizados dias de campo. Entre 2014 e 2017, foram realizados seis eventos dessa natureza, com público médio de 80 participantes, entre produtores, extensionistas, técnicos, professores e estudantes. A visita de estudantes de graduação em ciências agrárias vem sendo ainda mais constantes, com mais de dez ocasiões dessa natureza nos últimos anos, totalizando cerca de 200 visitantes aos experimentos.

As últimas ações previstas para o Projeto Biomas na Amazônia em 2018 e 2019 são a realização de cursos envolvendo a adequação ambiental de propriedades rurais, com ênfase nos Programas de Recuperação Ambiental (PRAs), além da coleta de sementes e produção de mudas de espécies nativas amazônicas.

Os subprojetos podem ser conhecidos nos links a seguir:

Conservação de Germoplasma Florestal no Município de Marabá – Implantação de Reserva Genética “in situ”

Enquadramento: Diagnóstico

Objetivos:

  • Geral:
  • Conservar espécies florestais nativas da região.
  • Específicos:
  • Implantar Área de Coleta de Sementes (ACS);
  • Realizar inventário florestal e obter os índices fitossociológicos;
  • Estudar a frequência, abundância e distribuição espacial de espécies arbóreas nativas;
  • Estudar as fenofases reprodutivas das espécies que ocorrem na região.

Responsável: Noemi Vianna Martins Leão (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Adubação verde para recuperação da produtividade agrícola

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Recuperar/melhorar a fertilidade do solo e a produtividade agrícola, por meio da adubação verde, com ou sem adubação mineral;
  • Ter áreas permanentes de cultivo agrícola;
  • Avaliar a rentabilidade dos sistemas propostos;
  • Específicos:
  • Avaliar o efeito da adubação verde na condição de fertilidade do solo;
  • Avaliar o efeito da adubação verde na produtividade agrícola;
  • Verificar a necessidade de abudação mineral na melhoria da fertilidade do solo;
  • Verificar a necessidade de abudação mineral na melhoria da produtividade agrícola;
  • Avaliar o efeito da inoculação das árvores por Fungos Micorrízicos Arbusculares no desempenho vegetal;
  • Avaliar economicamente a eficiência do uso de adubação verde no solo e na planta;
  • Avaliar economicamente a eficiência da inoculação de árvores por Fungos Micorrízicos Arbusculares no desempenho vegetal;
  • Difundir entre os produtores familiares o manejo de leguminosas para adubação verde. Responsável: Débora Veiga de Aragão (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Responsável: Débora Veiga de Aragão (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Avaliação de modelos produtivos com espécies madeireiras e não madeireiras para a recomposição da Reserva Legal

Enquadramento: ARL

Objetivos:

  • Geral:
  • Testar diferentes arranjos espaciais com espécies madeireiras e não madeireiras para a recomposição da reserva legal que promovam retorno econômico para a propriedade rural e o regaste da fauna e flora nativas da região.
  • Específicos:
  • Testar diferentes arranjos espaciais utilizando espécies arbóreas de interesse comercial e não comercial para recuperação da reserva legal em áreas alteradas pela pecuária;
  • Avaliar o crescimento das espécies ao longo do tempo e a viabilidade econômica e ambiental em cada tipo de arranjo;
  • Demonstrar aos produtores rurais os benefícios econômicos, sociais e ecológicos da Reserva Legal em dias de campo.

Responsável: Marta Sccoti (Universidade Federal de Rondônia – UNIR).

Caracterização e monitoramento da dinâmica de um trecho de floresta ombrófila densa de terra-firme em uma unidade de conservação e em uma reserva legal privada

Enquadramento: ARL

Objetivos:

  • Geral:
  • Caracterizar e comparar formações florestais amazônicas nativas em uma Unidade de Conservação e uma em propriedade privada – RL.
  • Específicos:
  • Descrever o estado de conservação de florestas em RL;
  • Monitorar os processos da dinâmica sucessional de florestas em RL;
  • Comparar a composição floristica e a dinâmica de florestas em RL;
  • Avaliar a qualidade biológica do solo identificando os organismos da fauna edáfica.

Responsável: Ademir Roberto Ruschel (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Avaliação da adaptabilidade de diferentes clones comerciais de eucaliptos com e sem inoculação de ectomicorrízas para a região sudeste do Estado do Pará

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Evidenciar a adaptabilidade de diferentes clones com e sem inoculação e fungos ectomicorrízicos na região de Marabá no sudeste do Estado do Pará.
  • Específicos:
  • Identificar os clones que melhor se desenvolvem nas condições de solos na área de estudo;
  • Levantar os clones mais resistentes ao ataque de pragas e doenças.

Responsável: Arystides Resende Silva (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Bioindicadores fornecedores de serviços dos ecossistemas em áreas em recuperação ambiental na Amazônia Oriental

Enquadramento: Diagnóstico / Transversal

Objetivos:

  • Geral:
  • Avaliar organismos bioindicadores fornecedores dos serviços dos ecossistemas em áreas em recuperação ambiental na Amazônia Oriental.
  • Específicos:
  • Avaliar a diversidade, riqueza e abundância de dípteros;
  • Avaliar a dinâmica populacional de artrópodes da superfície do solo;
  • Avaliar a estrutura populacional da micro e mesofauna do solo
  • Avaliar a diversidade, riqueza e abundância de cupins;
  • Avaliar a diversidade, riqueza e abundância de minhocas.

Responsável: Diego de Macedo Rodrigues (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – UNIFESSPA).

Integração Lavoura-pecuária-floresta – iLPF: opção de sistema integrado de produção para áreas antropizadas

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Promover a recuperação de áreas alteradas, transformando os atuais processos produtivos em sistemas integrados e sustentáveis de produção, iLPF.
  • Específicos:
  • Recuperar a capacidade produtiva das áreas antropizadas e intensificar a produtividade das atividades agropecuárias através de sistemas de iLPF;
  • Avaliar a viabilidade econômica e social do sistema implantado ao longo de oito anos;
  • Promover a capacitação continuada de produtores no decorrer do processo de implantação e condução do sistema;
  • Determinar e analisar a viabilidade econômica e financeira e os riscos do sistema de integração;
  • Analisar o mercado dos produtos do sistema, especificamente no que se refere ao comportamento da produção e dos preços ao longo do tempo, por meio de séries temporais.

Responsável: Roni de Azevedo (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Avaliação do desenvolvimento de mudas inoculadas com fungos micorrízicos e estudo da regeneração natural em área de Reserva Legal na Fazenda Cristalina

Enquadramento: ARL

Objetivos:

  • Geral:
  • Apresentar um modelo de produção florestal que combine espécies florestais inoculadas com os fungos micorrízicos arbusculares (FMA’s) para compor área de Reserva Legal da Propriedade Cristalina e servir de vitrine de inovação tecnológica para as áreas de agricultores familiares do entorno da Fazenda.
  • Específicos:
  • Produzir mudas de espécies florestais inoculadas com fungos micorrízicos;
  • Implantar uma rede de parcelas permanente visando o monitoramento contínuo da área de ARL da Fazenda Cristalina;
  • Acompanhar o desenvolvimento das mudas de espécies florestais inoculadas com os fungos micorrízicos, avaliando a taxa de sobrevivência no campo, altura, diâmetro do caule, número de folhas, colonização micorrízica, densidade de esporos de fungos micorrízicos, dependência micorrízica, teores de nutrientes na parte aérea das espécies e cálculo da produção volumétrica de madeira;
  • Acompanhar o processo de regeneração natural da área do entorno das mudas;
  • Determinar a evolução da qualidade do solo (química, física e biológica);
  • Determinar a presença de pragas e doenças.

Responsável: Andréa Hentz de Mello (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – UNIFESSPA).

Avaliação do desenvolvimento de paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex Ducke) Barneby, Fabaceae) inoculados com microrganismos indutores de crescimento

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Avaliar o desenvolvimento do paricá inoculado com quatro diferentes estirpes de bactérias RPCP (Rizobactérias Promotoras de Crescimento de Plantas) associadas com fungos micorrízicos.
  • Específicos:
  • Avaliar o desempenho de plantas de paricá em campo comparando a inoculação de microrganismos com adubações naturais e sintéticas.
  • Estabelecer um grupo de microrganismos componentes de um biofertilizante a ser utilizado em plantios comerciais de S. parahyba var. amazonicum.

Responsável: Alexandre Mehl Lunz (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Reabilitação estrutural de ecossistemas ripários em microbacias na região do médio Rio Tocantins, Pará

Enquadramento: APP

Objetivos:

  • Geral:
  • Avaliar as performance silviculturais de espécies arbóreas com potencial para recuperação de ecossistemas ripários (APP) na região do baixo rio Tocantins, Marabá - Pará.
  • Específicos:
  • Avaliar sobrevivência das espécies nativas sobre diferentes espaçamentos de plantio;
  • Avaliar os parâmetros biológicos de crescimento em altura (m) e crescimento diamétrico (cm) das espécies nativas sobre diferentes espaçamentos.

Responsável: Diego de Macedo Rodrigues (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – UNIFESSPA).

Recomposição de área de preservação permanente (APP) em microbacias na região do baixo Tocantins, Marabá, Pará

Enquadramento: APP

Objetivos:

  • Geral:
  • Analisar o comportamento de espécies arbóreas de diferentes grupos ecológicos plantadas em área de preservação permanente (APP) degradada no município de Marabá, Pará.
  • Específicos:
  • Avaliar o crescimento de altura e diâmetro das espécies arbóreas plantadas;
  • Analisar as propriedades físico-químicas do solo na área de parcela permanente;
  • Analisar a relação entre gradiente de umidade e solo-planta;
  • Avaliar a fitossanidade das espécies.

Responsável: Roberta de Fátima Rodrigues Coelho (Instituto Federal do Pará – IFPA).

Resposta hidrológica e monitoramento climático de microbacia submetida à alteração gradual de uso do solo

Enquadramento: Diagnóstico

Objetivos:

  • Geral:
  • Busca-se compreender se as respostas do regime hidrológico superficial e subterrâneo na ocasião de um rearranjo produtivo de pastagem extensiva degradada para sistemas produtivos com floresta aproximar-se-iam das condições hidrológicas naturais do Bioma.
  • Específicos:
  • Estabelecer a relação precipitação x elevação do aquífero livre ao longo do estudo;
  • Quantificar a evolução recarga líquida do reservatório subterrâneo da fazenda experimental;
  • Quantificar o deflúvio da microbacia conforme evolução da vegetação implantada;
  • Verificar a possível regularização do regime hidrológico superficial local com a inclusão da vegetação;
  • Correlacionar dados climáticos da estação com as respostas hidrológicas do sistema;
  • Criar e atualizar o banco de dados climático-hidrológico de suporte aos demais sub-projetos da fazenda experimental.

Responsável: Edner Baumhardt (Universidade Federal de Santa Maria – UFSM).

Desenvolvimento de dois sistemas agroflorestais em área de sistema de produção – ASP para região do Sudeste paraense

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Instalar e acompanhar dois sistemas agroflorestais em área de Sistema de Produção – ASP em área degradada de pastagem no município de Marabá.
  • Específicos:
  • Avaliar a produtividade de dois sistemas de produção (SP2) com culturas florestais e frutíferas em associação, sendo estas últimas renovadas anualmente até o terceiro ano.

Responsável: Antônio José Elias Amorim de Menezes (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Avaliação econômica de sistema de produção integrando gado de corte e babaçu

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Buscar soluções para a manutenção do babaçu na paisagem de pecuária, ou seja, integrar economicamente a palmeira nos sistemas de produção animal.
  • Específicos:
  • Avaliar o ganho de peso animal em pastagens sem babaçu e com babaçu em duas densidades;
  • Estimar a produção de coco babaçu na área de integração;
  • Estimar o lucro do produtor nos três sistemas, considerando inclusive a venda de produtos do babaçu;
  • Estimar um valor de mercado para o carvão de babaçu na região;
  • Identificar palmeiras mais produtivas para formação de um banco de sementes.

Responsável: Joaquim Bezerra Costa (Embrapa Cocais – CPACP).

Sistemas silviculturais de restauração de RL em florestas amazônicas para a sua valorização ecológica e econômica – Restauração, Recuperação e Restabelecimento – 3R

Enquadramento: ARL

Objetivos:

  • Geral:
  • Testar diferentes protocolos silviculturais para o restabelecimento do valor ecológico e econômico de florestas alteradas em áreas de Reserva Legal de uma propriedade rural na Amazônia brasileira.
  • Específicos:
  • Testar espécies florestais de crescimento rápido e de interesse econômico para a recomposição e formação de dossel superior em florestas alteradas;
  • Testar diferentes sistemas silviculturais para restauração de áreas de Reserva Legal; e
  • Determinar custos financeiros e índices de restauração ecológica a partir da adoção destes sistemas.

Responsável: Lucas José Mazzei de Freitas (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

A produção pecuária sob a sombra das árvores e em equilíbrio com o ecossistema

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Melhorar os sistemas de produção pecuários existentes através de Sistemas Silvipastoris – SSP, fortalecendo as atividades produtivas e potencializando o uso dos recursos naturais existentes.
  • Específicos:
  • Implantar um projeto alternativo a pecuária tradicional adaptado às peculiaridades e interesses da população da região de atuação desta proposta;
  • Implementar arranjos produtivos inovadores e transformadores da atual realidade (ambiental, social e cultural);
  • Estabelecer mecanismos de intervenção que viabilizem a circulação de informação técnica e científica;
  • Determinar e analisar a viabilidade econômica da proposta a curto e médio prazos.

Responsável: Gladys Beatriz Martínez (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Avaliação de espécies arbóreas forrageiras inoculadas com fungos micorrízicos arbusculares

Enquadramento: ARL

Objetivos:

  • Geral:
  • Selecionar espécies forrageiras de ocorrência natural em pastagens como alternativa sustentável para a atividade pecuária;
  • Específicos:
  • Avaliar o desenvolvimento das espécies arbóreas forrageiras e a qualidade da forragem produzida;
  • Avaliar a palatabilidade das espécies testadas;
  • Divulgar a tecnologia da inoculação com fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) para melhoria do desempenho de espécies forrageiras;
  • Determinar a presença de pragas, doenças e plantas invasoras;
  • Determinar as condições fisico-química e biológica do solo; e
  • Determinar a viabilidade econômica das espécies testadas.

Responsável: Rosana Quaresma Maneschy (Universidade Federal do Pará – UFPA).

Produção de frutas, moirão e lenha associados com floresta em RL

Enquadramento: ARL

Objetivos:

  • Geral:
  • Estabelecer sistemas de produção com o componente arbóreo na propriedade rural em ARL, associando a conservação de espécies nativas importantes para a fauna.
  • Específicos:
  • Testar o consórcio de espécies nativas para produção de lenha e de moirões em diferentes espaçamentos;
  • Testar o consórcio de fruteiras nativas em diferentes níveis de adubação;
  • Testar a recomposição de uma floresta nativa com a castanheira como elemento principal;
  • Avaliar os custos e receitas de implantação, manutenção e colheita da madeira e de frutos;
  • Avaliar o crescimento das espécies nativas.

Responsável: Annete Bonnet (Embrapa Pesca e Aquicultura – CNPASA).

Recomposição de Reserva Legal com plantio e colheita de espécies madeireiras

Enquadramento: ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Validar modelos de recomposição da reserva legal em área de pastagem degradada na Amazônia
  • Específicos:
  • Implantar Unidades de Observação de 4 modelos de recomposição de reserva legal para bioma amazônico;
  • Avaliar o crescimento de seis espécies madeireiras plantadas em sistema misto;
  • Avaliar o processo de revegetação via sucessão da regeneração natural em plantios mistos;
  • Gerar índices técnicos dos modelos recomposição de reserva legal propostos.

Responsável: José Francisco Pereira (Embrapa Amapá – CPAFAP).

Recuperação de voçorocas em áreas rurais

Enquadramento: Transversal.

Objetivos:

  • Geral:
  • Recuperar voçorocas em áreas rurais da Amazônia.
  • Específicos:
  • Dimensionar estratégias físicas e mecânicas para estabilização de voçorocas em áreas rurais.
  • Selecionar espécies arbóreas nativas mais adaptadas às condições de voçorocas na Amazônia.
  • Avaliar tempo e custos de recuperação de voçoroca em área rural na Amazônia.

Responsável: Alexander Silva de Resende (Embrapa Agrobiologia – CNPAB).

Implantação de sistemas silviculturais destinados a múltiplos usos e recuperação de Reserva Legal

Enquadramento: ARL e ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Testar diferentes arranjos de plantios utilizando espécies florestais nativas destinadas ao aproveitamento econômico ou restabelecimento de Reserva Legal.
  • Específicos:
  • Testar o desenvolvimento consorciado de seis espécies florestais nativas em nove arranjos, cada qual com dois modelos de espaçamento inicial;
  • Testar os rendimentos econômicos de cada arranjo/espaçamento;
  • Provocar o recobrimento do solo com espécies arbóreas de modo a promover o aproveitamento econômico e/ou restabelecimento de Reservas Legais manejáveis.

Responsável: Alexandre Uhlmann (Embrapa Florestas – CNPF).

Estruturação de um pólo de produção de fruteiras na região de Carajás, Estado do Pará

Enquadramento: ARL e ASP

Objetivos:

  • Geral:
  • Desenvolver tecnologias que permitam fomentar o desenvolvimento de um polo de produção das fruteiras: taperebazeiro, bananeira, abacaxizeiro, maracujazeiro, mamoeiro e cupuaçuzeiro, na região de Carajás no Estado do Pará.
  • Específicos:
  • Identificar e selecionar matrizes de taperebazeiro nativas do Estado do Pará;
  • Instalar, caracterizar e avaliar uma coleção com clones de taperebazeiro em Marabá – Pará;
  • Instalar, conduzir e avaliar uma Unidade de Observação, para divulgar as tecnologias do sistema de produção do taperebazeiro;
  • Instalar, conduzir e avaliar quatro Unidades Demonstrativas, utilizando cultivares recém-lançadas, para divulgar as tecnologias dos sistemas de produção da bananeira, abacaxizeiro, maracujazeiro e mamoeiro;
  • Instalar, conduzir e avaliar cinco Unidades Demonstrativas, utilizando a cultivar de cupuaçuzeiro BRS Carimbó, lançada em 2012, para difundi-la entre os produtores, e divulgar as boas práticas de cultivo dessa espécie;
  • Dotar o Estado do Pará com materiais melhorados de taperebazeiro, para transformar a atividade, atualmente extrativa, em um cultivo agrícola;
  • Fornecer propágulos (ponteiras, sementes e mudas) das seis fruteiras selecionadas (taperebá, banana, abacaxi, mamão, maracujá e cupuaçu) para fomentar instalação de novos pomares;
  • Capacitar técnicos e produtores rurais com as tecnologias geradas;
  • Produzir cartilhas com orientações sobre a produção de mudas e implantação e manejo de pomares de taperebazeiro.

Responsável: Rafael Moysés Alves (Embrapa Amazônia Oriental – CPATU).

Os plantios foram efetivamente iniciados em 2014, após a realização de pesquisas diagnósticas de solo e vegetação e do dimensionamento das quantidades necessárias de mudas e insumos para início dos subprojetos. Desde então, são mantidas ações de pesquisa como avaliação do desenvolvimento das árvores e coleta de material vegetal, solos, dados climáticos etc.

Destacam-se os dias de campo como atividades de transferência de tecnologias já realizados de 2014 a 2017. Para 2018, está previsto um cursos de capacitação em manejo de sementes e produção de mudas para recuperação e adequação ambiental.